Como controlar lesmas e caracóis

Aprenda como controlar lesmas e caracóis

As lesmas e caracóis são moluscos, os quais ocorrem, com maior frequência, em ambientes úmidos, frescos e ricos em palhada. Possuem hábito noturno e o período de maior atividade alimentar ocorre nas primeiras horas da noite. Os caracóis ou caramujos possuem concha, enquanto as lesmas não possuem.

caracoislesma

 

 

 

 

 

 

 

Danos e Sintomas:

Lesmas e caracóis raspam (com uma estrutura chamada rádula) as folhas, caules e brotos novos, podendo, em infestações severas, levar à morte das plantas, principalmente em culturas em fase inicial.

O sintoma característico do ataque das lesmas e caracóis é a presença de folhas consumidas entre as nervuras. Outro sintoma característico da presença das lesmas e caracóis é um rastro de muco de coloração branca que estes organismos deixam quando se deslocam sobre o solo ou nas plantas.

lesmas e caracois danos

as lesmas e caracois danos

 

Controle:

Coleta manual:

Factível quando a área cultivada for pequena. No início da manhã, coletar e destruir os adultos com luvas de borracha ou sacos plásticos, pois podem transmitir doenças através de sua mucosidade.

Armadilhas atrativas:

Consistem em estopa ou panos embebidos em cerveja ou leite dispostos junto à cultura infestada. Colocar estas armadilhas ao anoitecer e recolher e destruir no dia seguinte bem cedo.

Barreira de cobre:

Colocar uma barra/fita de cobre ao redor do vaso ou realizar um anel de malha de cobre em torno da base de plantas.

anelo cobre lesmas caracois anelo cobre vaso lesmas caracois

 

 

 

 

 

 

Cal, cinza, Terra diatomácea…

Dispor o produto em faixas de 20 cm de largura em volta da cultura. Estas faixas dificultam o acesso de lesmas e caracóis à cultura. Após cada chuva ou semanalmente, deve-se repetir o procedimento.

Autor: Miguel Lancho Jiménez


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

-PICANÇO, Marcelo Coutinho – PROTEÇÃO DE PLANTAS: Manejo integrado de pragas. Viçosa, MG – 2010

-PAPA, G. Proteção de Plantas – Métodos de Controle de Pragas e Manejo Integrado. Viçosa, 2010.

-ISMAN, M.B. Plant essential oils for pest and disease management. Crop Protection, 204 Guilford 2000

-ROEL, A. R. Utilização de plantas com propriedades inseticidas: uma contribuição para o desenvolvimento rural sustentável. Rev. Internacional de desenvolvimento local, 2001

-NEVES, B. P.; OLIVEIRA, I. T.; NOGUEIRA, J. C. M. Cultivo e utilização do nim indiano. Santo Antônio de Goiás: EMBRAPA/CNPAF, 2003. 12 p. (Circular Técnica, 62)

-AGUILAR E. Inseticidas Botânicos: Seus Princípios Ativos, Modo de Ação e Uso Agrícola. EMBRAPA AGROBIOLOGIA. Seropédica – RJ 2005

-VENDRAMIM, J. D. Uso de plantas inseticidas no controle de pragas. In: CICLO

-ABREU JUNIOR, H. Práticas alternativas de controle de pragas e doenças na agricultura. Coletânea de Receitas.EMOPI, Campinas-SP, 1998.

-BARBOSA, F.R.; SILVA, C.S.B. da; CARVALHO, G.K. de L. Uso de inseticidas alternativos no controle de pragas agrícolas. Petrolina: EMBRAPA Semi-Árido. 2006. 47 p. (EMBRAPA Semi-Árido. Documentos, 191)

-MICHEREFF M. F.; GUIMARÃES J. A. Recomendações para o Controle de Pragas em Hortas Urbanas. EMBRAPA. Circular Técnica 80, Brasília, DF Novembro, 2009

-PENTEADO S R. “Defensivos Alternativos e Naturais”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.