Pragas e Doenças no Alface

Aprenda sobre as principais doenças e pragas na cultura do alface, seus agentes causadores e a maneira sustentável e ecologicamente correta de combatê-las.

PRAGAS E DOENÇAS

Fungos

  • Míldio (Bremia lactucae regel)

Alface - Bremia lactucae (5)

Considerada uma das principais doenças na cultura do alface, acontece principalmente em áreas onde a temperatura é baixa ou quando as folhas são irrigadas com frequência, permanecendo úmidas constantemente. As plantas apresentam manchas verde-claras ou amareladas, de tamanho variado e são delimitadas pelas nervuras. Na parte inferior da folha é mais fácil perceber a incidência do fungo e quando o ataque é muito severo, podemos observar descoloração nos tecidos internos do caule.

  • Septoriose (Septoria lactucae pass.)

 

alface doenças
É uma doença que se desenvolve melhor  em temperatura e umidade elevadas. Os primeiros sintomas são observados nas folhas baixeiras, onde as lesões produzem grande quantidade de esporos que consequentemente infectam as folhas mais novas. Estas lesões, apresentam coloração marrom-clara, de bordas pouco definidas e podem causar lesões maiores que destroem a folha.

  • Mancha-de-cercóspora (Cercospora longissima cugini)

cercosporiose

Os sintomas são vistos primeiramente nas folhas mais velhas, sendo estes, pequenas manchas marrons, as vezes com um alo amarelado e com o ponto central mais claro acinzentado. Esta doença se diferencia da Septoriose, por apresentar manchas com bordas mais definidas e individualizadas.

  • Rizoctonioze ou Queima-da-saia (Rhizoctonia solani )

rizoc

È uma doença causada por fungos que ficam no solo, os sintomas se iniciam nas folhas mais velhas que ficam em contato com o este solo. Primeiramente apresentam pequenos pontos marron-claros nas nervuras das folhas, que aumentam de tamanho e atacam o limbo foliar. Em menos de 48 horas a folha já estará necrosada e amolecida.

Bactérias

  • Mancha Bacteriana ( Xanthomonas campestris)

xantomonasA bactéria penetra em aberturas naturais e provocam, inicialmente, pequenas manchas angulares, que possuem aspecto encharcado e estão nas folhas baixeiras. Quando se expandem, elas ficam mais escuras e são delimitadas pelas nervuras, adotam forma de “V”. Em alguns casos, a bactéria ataca também o caule da planta, causando podridão e consequentemente a morte das plantas

Vírus

  • Mosaico do alface (Potyvirus)

Mosaico do alface (Potyvirus)

É transmitido por diversos tipos de pulgões e tripes e é muito comum na cultura da alface. O principal sintoma é o mosaico, juntamente com a deformação foliar. Quando ataca as cultivares do tipo americana, prejudica a formação da cabeça, tornando-as impróprias para o consumo.

Vira-cabeça (Tospovirus)

É transmitida pelos Tripes e ocorre em todas as regiões do país. Primeiramente são observados sintomas no pecíolo e no limbo das folhas internas, mais novas, que apresentam forma marrom-claras inicialmente e que vão escurecendo. Se não tratada pode causar necrose e morte das plantas.

Pragas

  • Pulgões

Myzus-persicae_David-Cappaert-Michigan-State-University-Bugwood.org_-600x435Atuam alimentando-se sobre as plantas, nas folhas e em alguns casos nas raízes. Eles sulgam a seiva e liberam toxinas, causando o desenvolvimento da fumagina. Podem atuar também como vetores de viroses.

  • Trípes

Trips

 

São animais que podem transmitir a doença virótica vira cabeça e também o mosaico do alface. Além de sugar seiva das folhas, abrindo espaço pro desenvolvimento de doenças.

  • Mosca minadora (Liriomyza huidobrensis)

(Liriomyza huidobrensis)As larvas abrem minas no interior do parênquima foliar e se alimentam dos tecidos, destroem parcialmente ou totalmente a folha, provocando seu secamento.

CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS

Para o controle de doenças recomenda-se a escolha de cultivares resistentes e para evitar a incidência de pragas, a utilização de produtos biológicos que tem ação repelente e inseticida também são ótimas alternativas. E podemos utilizar defensivos alternativos como calda bordalesa,  sulfocálcica e viçosa, sendo feitas quando necessário.

Autores: Júlia Terra Dourado Jacinto, Miguel Lancho e João Guilherme Pane.

Referências bibliográficas

http://fdr.com.br/formacao/produtor-de-hortalicas/cultivo-das-principais-hortalicas/

http://www.projetos.unijui.edu.br/matematica/modelagem/alface/

http://www.atividaderural.com.br/artigos/4eaaae5d4f4a8.pdf

http://www.cnph.embrapa.br/paginas/serie_documentos/publicacoes2008/ct_56.pdf

http://livraria.sct.embrapa.br/liv_resumos/pdf/00051120.pdf

Livro Horta Doméstica e comunitária sem veneno. Cultivo em pequenos espaços.

One thought on “Pragas e Doenças no Alface

  • Por isso a importância do primeiro preparo e cuidado da terra e a calagem onde se pode evitar algumas doenças devido a deficiência de cálcio as terras brasileira são pobre em calcário então se deve usar com analise e critério de um agrônomo. Parabéns pela matéria apresentada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.